Saiba por que nem sempre ter muitos seguidores é rentável na sua estratégia de marketing

Saiba por que nem sempre ter muitos seguidores é rentável na sua estratégia de marketing

Saiba por que nem sempre ter muitos seguidores é rentável na sua estratégia de marketing

“O meu concorrente tem 40 mil seguidores e eu tenho apenas 5 mil”. “200 pessoas se cadastraram naquele formulário, mas nenhuma comprou”.  Você sabia que ter muitos seguidores pode não ser tão interessante para o seu negócio?

Antes de explicar o motivo, saiba que se está preocupado com a quantidade de seguidores a sua empresa tem em relação à concorrente, você não está sozinho. É comum encontrar empresários atentos aos números de seguidores nas redes sociais, sem levar em consideração como eles estão sendo atraídos e nem para onde estão indo.

É aí que a estratégia pode falhar, quando a vaidade em ter altos números para exibir fala mais alto. Esse é o famoso Marketing de Vaidade, onde o mais importante é ter altos índices de exposição sem estarem alinhados com uma estratégia de atração qualificada.

Como isso pode atrapalhar?

Vamos imaginar que você criou há um mês a página da sua empresa na internet. A primeira decisão foi promover a página para aumentar o número de seguidores. Acredite, essa pode ser a pior opção para esse momento.

A frustração: As pessoas estão sendo atraídas para uma rede social com pouco conteúdo. O que de interessante fará com que elas tenham vontade de curtir a sua página? Quase nada.

Além do mais, quando você cria um conteúdo com foco em obter curtidas na página é muito comum atrair seguidores desqualificados (lê-se pessoas que nem sempre irão se tornar clientes).

É mais interessante, antes de tudo, entender o público alvo e escolher um conteúdo de qualidade para compartilhar com ele. Assim, ao invés de gastar dinheiro com promoção da página você investe em um conteúdo segmentado para o perfil do seu público alvo. E o melhor, com algo que seja útil para ele.

Compra de seguidores

Há uma infinidade de ferramentas que “compram” seguidores. Outras agem através de ações automáticas de seguir, deixar de seguir, curtir e comentar, como se a marca estivesse marcando presença na rede social por um robô.

Dependendo da configuração e da qualidade da ferramenta, os seguidores que passam a seguir podem não ter qualificação alguma com o que a empresa busca como cliente. Os números crescem e inflam o ego do social media e dos donos da empresa.

Show de bola, mas, no final de tudo, esse monte de seguidores não vão lhe ajudar a tomar uma decisão futura porque não são qualificados e não estão dentro do perfil do seu público alvo. Muitas vezes nem são da região que você vende.

Essa é a hora de pensar no quanto a quantidade de seguidores importa para o seu negócio. Para qualquer planejamento que for desenvolver para as redes sociais, o objetivo central de uma análise deve ser os indicadores de desempenho, aqueles que mostram que a estratégia converteu visitantes em clientes.

Muitos fãs, porém qualificados. Como?

Ainda que uma quantidade alta de seguidores possa atrapalhar, cá para nós, é bom ver as nossas redes sociais com um monte deles interagindo, não é? Claro, esse não é um fato que deve ser ignorado, mas sim trabalhado. Como?

– Tenha o seu público alvo em mente de forma que você saiba exatamente o que ele quer ver na rede social. Para isso, faça pesquisas antes de começar as publicações. Assim você não fica dando tiro no pé com conteúdos soltos e que não engajam.

– Ao invés de você ir pelo caminho que uma grande maioria vai, que é a compra de seguidores por ferramentas, que tal montar um calendário de conteúdos de atração? Aproveitando o perfil do público, crie conteúdo para eles. Use personagens reais, relatos de casos, conte histórias sem apelo comercial.

Neste link, a Endeavor traz um case interessante que questiona a necessidade e rentabilidade das criações de conteúdo da Redbull. A empresa criou um projeto para levar um paraquedista a saltar da estratosfera até a terra. Há uma mega estrutura, com certeza um patrocínio gigantesco, mas qual o objetivo real que tenha uma relação com o negócio da Redbull? É o que se questiona no texto.

– Crie elo com parceiros e influenciadores que engajam com seu público. Não adianta colocar na TV uma influencer com jeito de menina para falar de móveis de casa. Já as parcerias podem gerar possibilidades de sorteios ou bonificações para compartilhar entre os seguidores.

– Não esqueça que o seu time interno, ou seja, a sua equipe, deve ser a primeira a seguir o que a sua empresa comunica nas redes sociais. Eles também merece um lugar de destaque nesse ambiente. Organize um grito de escritório (todos compartilhando

– Por falar em equipe, não adianta ter a estratégia digital que passe uma imagem perfeita nas redes sociais, mas o seu atendimento deixar a desejar. Os seguidores são pessoas, e pessoas que observam e entendem quando são enganadas. Além de dar um deslike, o seguidor ainda expõe uma avaliação negativa se não for bem atendido.

——-

Você já tem uma estratégia na internet, mas não sabe se ela está funcionando? Converse com os especialistas da L3 Marketing Digital e solicite uma consultoria do seu marketing digital GRATUITA.

Não há nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Shopping Cart

Newsletter

Consultoria em Comunicação

Publicidade

Marketing Digital